Neste blog, mais imagens do que palavras...
A fotografia é uma paixão que não requer ser cultivada, tão somente alimentada, pelo que uma imagem vale mais do que mil palavras!

In this blog, more pictures than words ...
The photography is a passion that does not require to be cultivated, nourished solely by that one picture is worth a thousand words!

SOMOS VISTOS E PROCURADOS NO MUNDO INTEIRO - ESTES OS PAÍSES QUE VISITAM O BLOG!

Flag Counter

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Aldeia da Pena, os encantos (ainda) pouco conhecidos do interior profundo português...

Vale sempre a pena, visitar a Pena. É uma das aldeias de encanto desta região. Encanta pelas suas casas de Xisto com telhados de lousa, mas não só.
No dia em que lá estive, a população residente aumentou, de 11 para 13 habitantes!

Fica situada num profundo vale da serra de São Macário, concelho de São Pedro do Sul, distrito de Viseu.
O acesso pode ser feito por estrada mas a mesma tem uma inclinação muito íngreme e é estreita.

Na aldeia existe artesanato com uma exposição na lojinha da Augusta onde se encontra também à venda mel produzido pelas abelhas em colmeias por lá existentes.

Existe ainda um restaurante, Adega Típica da Pena. Fazem pratos por encomenda, por exemplo arroz de cabidela, o galo pica-no-chão, criados pelos proprietários. Também fazem outros pratos, nomeadamente os grelhados. Convém fazer reserva 926549388.


Fica prometida uma caminhada até à aldeia vizinha de Covas do Rio pelo caminho que tem história. 
Antigamente, os habitantes da Aldeia da Pena iam a enterrar em Covas do Rio, um trajecto que era feito a pé e que demorava cerca de hora e meia a percorrer. Os habitantes da aldeia da Pena levavam o caixão aos ombros por aqueles trilhos estreitos e íngremes. Como o caminho era muito estreito, o caixão era levado apenas por dois homens, um à frente e outro atrás.
O percurso entre a aldeia da Pena e Covas do Rio tinha vales muito profundos, com moinhos e cursos de água. Em muitas zonas, o sol mal chegava e as pedras estavam sempre húmidas e escorregadias.
Ao descer uma das encostas, a pessoa que ia à frente com o caixão escorregou, perdeu o equilíbrio e o caixão caiu em cima dele, matando-o, daí dizer-se que o morto matou o vivo.

33 comentários:

  1. Ainda não a visitei mas pelos olhares ... apetece conhecer!
    bj

    ResponderEliminar
  2. Há tanto para conhecer! Quando era mais jovem ficava mal disposta quando fazíamos viagens em estradas com curvas e contracurvas... serpenteadas... tal como essa. Hoje em dia não sei se reagiria assim... :)

    ResponderEliminar
  3. Ainda não fui a esta bela aldeia, mas fica na agenda para uma futura visita.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  4. Mas, pelas imagens, deve ser um lugar acolhedor! ;) Amei!

    Beijos e um excelente dia.

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde. Bem, pelas imagens parece muito curioso conhecer.Vale sempre a pena.
    Imagens fantásticas.

    Voam borboletas em desejos fugazes.

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta - Feira

    ResponderEliminar
  6. Alguma vez os politicos deste país faziam ideia que isso acontecia....
    13 pessoas? Já se pode considerar uma multidão ahahahah
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  7. mais umas belas fotos como sempre amigo mt bonitas mesmo mais uma terra que nao conheço obrigada pela partilha bjs

    ResponderEliminar
  8. Una aldea, no muy conocida, pero de gran belleza en su paisaje. Se ve un lugar tranquilo.

    Besos

    ResponderEliminar
  9. Magníficas fotografias!
    Merece a pena visitar a Pena!
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. As duas são muito bonitas. Estas conheço. S. Pedro do Sul e arredores, são dos locais que melhor conheço. Tinha família espalhada, por S. Pedro do Sul, tanta Cruz da Trapa, Gralheira, Pisão, Carvalhais, e Lourosa.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Come-se tão bem na Gralheira cara Elvira, vou lá com frequência.
      Obrigado

      Eliminar
  11. Que belleza de lugar, Rui, me encanta ese tipo de edificaciones, la ultima foto es una pasada de bonita, tomada desde la altura con un plano picado.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  12. Visitei esta linda aldeia há pouco e de facto vale a pena ir à Pena As fotos estão lindas, eu não consegui nada de jeito, chovia muito...
    Lindo post. bjs e boa semana.

    ResponderEliminar
  13. Desde luego un lugar con encanto. Comer en ese restaurante tiene que ser el remate. Entiendo que lo del gallo que pica el suelo, es el nombre de un plato verdad?
    Un abrazo Rui y felicidades por las fotografías!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Si Gumer, és verdad, es un plato tradicional en Portugal de arroz con el gallo.
      Gracias.

      Eliminar
  14. Sempre vi a Pena de lá de cima.
    Desde os anos 70 que estou para lá ir !
    Veremos se ainda é nesta encarnação...
    E o caminho para Covas do Rio continua a ser a pé ?

    Gostei imenso das suas imagens, caro Rui Pires.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desta aldeia tem o antigo caminho, mas, através de uma grande volta, Covas do Rio é acessível por carro, assim como Covas do Monte e Regoufe por exemplo. Drave é que não.
      Abraço e obrigado.

      Eliminar
    2. Agradeço a preciosa informação, caro Rui Pires !
      Veremos se dá para ir este ano...
      Forte abraço.

      Eliminar
  15. Luoghi poco conosciuti, che racchiudono scenari di rara bellezza
    Un caro saluto,silvia

    ResponderEliminar
  16. Quanto mais conheço Portugal através de reus olhos de lince caro Rui Píres, mais me encanto com esta terra.
    ps. Carinho respeit e abraço

    ResponderEliminar
  17. Que lugar incrível!
    Fiquei absolutamente extasiada a olhar para as imagens!
    Vale mesmo a pena... conhecer a Pena! Adorei ver tudo tão bem cuidado... e pronto, para ser descoberto e apreciado, neste lugar de sonho!
    Mais uma formidável partilha, Rui! Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar
  18. Grata pela partilha Rui, mais um loca lindo que não conhecia. Imagens lindas do nosso Portugal escondido.
    Beijinho
    Joana

    ResponderEliminar
  19. Un bonito y pintoresco pueblo, del que me ha sorprendido mucho que con tan poca población disponga de una tienda y un restaurante, y para colmo, con los pocos habitantes que tiene, se cae el muerto y mata al diez por ciento de la población. Y me pregunto también ¿a los dos últimos quien los lleva a enterrar?.
    El reportaje precioso.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuel, tiene pocos habitantes, pero cada vez más visitantes.
      Abrazo

      Eliminar
  20. Rui
    gosto imenso destas localidades e das suas casas de xisto.
    as fotos estão fantásticas.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  21. Magníficas fotos.
    Essa aldeia não conheço, mas já estive noutras muito parecidas.
    Só que viver lá não é pêra doce... em caso de doença grave ou incêndio, por exemplo...
    Bom fim de semana, caro Rui.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  22. Não me canso de ver fotos destas aldeias tão lindas e características do nosso país! :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  23. Local de que se gosta facilmente e que visitei várias vezes, tendo minimamente seguido a evolução e a simpatia do casal Brito e filhas.
    Está em agenda voltar um destes dias! Até porque a tranquilidade e a serenidade da paisagem, das pessoas e mesmo dos animais é altamente terapêutica.

    ResponderEliminar
  24. Já lá estive duas vezes. Adoro esse sítio, adoro
    Obrigada
    Abraço

    ResponderEliminar