Neste blog, mais imagens do que palavras...
A fotografia é uma paixão que não requer ser cultivada, tão somente alimentada, pelo que uma imagem vale mais do que mil palavras!

In this blog, more pictures than words ...
The photography is a passion that does not require to be cultivated, nourished solely by that one picture is worth a thousand words!

SOMOS VISTOS E PROCURADOS NO MUNDO INTEIRO!

Flag Counter

domingo, 10 de junho de 2018

A cada virar de encosta, uma nova maravilha nos salta à vista. Covas do Monte, um belo quadro!

Se Drave é denominada de aldeia mágica, Pena, aldeia de encantos, como hei-de adjetivar Covas do Monte?
A realidade é que este pitoresco lugar me deixou maravilhado e surpreso, com muita vontade de regressar. Covas fica situada a cerca de 9 quilómetros da Aldeia da Pena e cerca de 6 de Covas do Rio, também pertencente ao concelho de São Pedro do Sul.
É no outro lado da encosta da "Pena", também nas profundezas de um vale em que podemos transportar o olhar até ao alto, onde passa a estrada do "Portal do Inferno", mas isso fica para outra publicação...
Por aqui já nem todos os telhados são de lousa. Mas, percorrer as suas ruas e quelhas é ficar de queixo caído com tudo que a cada passo se nos depara. As construções antigas, os espigueiros, os riachos, as pessoas, os animais, tudo nos faz prender a um lugar que pensávamos só existir nas histórias, mas ainda é bem vivo, neste nosso presente.
Só Deus sabe até quando!

A população atual aqui pouco passa das 30 pessoas mas as cabeças de gado ainda ultrapassam as 500, embora num passado recente a população ascendesse às 50 pessoas e o gado a mais de duas mil cabeças.

Aqui "mergulhamos" num ambiente rural, genuíno e acolhedor. Motivo de agrado para todos quantos a visitam. 

Nesta aldeia, não se fica sem comer (pelo menos ao domingo), existe um restaurante a funcionar na antiga escola, pela Associação dos Amigos de Covas do Monte. A comida é daquela bem caseirinha de fazer crescer água na boca, confecionada por pessoas da aldeia, com produtos da aldeia. Um cabrito da Gralheira ou uma vitela arouquesa assada num forno a lenha com uma batatinha também assada e arroz, que mais se pode pedir...
Sim mas há mais, mas é conveniente fazer reserva pelo 232357592.
 Se hoje encontramos em Drave uma aldeia desabitada, muitas outras irão existir não muito longe do tempo em que estamos...
Assim vai o interior português.
 Como curiosidade, lembram-se da história de Drave, dos últimos habitantes? Pois nesta aldeia vive juntamente com o seu marido, a filha de um dos últimos habitantes dessa mesma Drave que no fundo fica situada do outro lado de mais uma imensa encosta.

A agricultura e a criação de gado são a base da subsistência de quem ainda por cá vive.
Dá gosto ver as cabras a passar pelas quelhas em busca do seu repasto!
Covas do Monte é assim, convida a regressar!

27 comentários:

  1. Ainda há aldeias genuínas !
    E o Rui Pires lança-nos o irresistível desafio de a visitar.
    Obrigado, pois !

    Um abraço e esperemos que o tempo melhore.

    ResponderEliminar
  2. Um dia irei conhecer!!!
    Adorei os olhares ...
    Um DOMINGO bem interessante!!!

    ResponderEliminar
  3. Bom dia!
    Obrigada pelas imagens maravilhosas!! Amei!

    Especial ... Abraço, em ambiente embriagado. [BC - Poetizando...]

    Beijos e um excelente Domingo

    ResponderEliminar
  4. Las casitas, parecen diminutas en l primera imagen.

    Gran belleza paisajistica y buen lugar para descansar del ruído de las grandes ciudades.

    Feliz domingo.

    Besos

    ResponderEliminar
  5. Que paisagens lindas, Rui!
    Meus parabéns pelas fotos.

    Beijos! ;)
    Blog: *** Caos ***

    ResponderEliminar
  6. Adoro estas aldeias, tão lindas e genuínas, pena que estejam a desaparecer por causa da desertificação. Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  7. Luoghi ancora selvaggi ove poter godere il fascino della natura
    Foto stupende
    Buona serata,silvia

    ResponderEliminar
  8. É muito bonita, tive o prazer de a visitar há uns dez anos.
    Um abraço, resto de bom domingo

    ResponderEliminar
  9. Rui esse lugar é incrível muito bonito, belas as fotos da aldeia Rui abraços.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  10. Bonita publicação :))

    Bjos
    Votos de uma boa noite.

    ResponderEliminar
  11. Aldeia que ainda guarda o seu encanto ancestral
    Abraço

    Hoje em Caminhos Percorridos - O INFERNO CIENTIFICAMENTE EXPLICADO

    ResponderEliminar
  12. Ahora a parte de las interesantes construcciones de las casas en piedra, nos muestras vida entre ellas, estupendo reportaje fotográfico y bonito pueblo.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  13. Admiração ao seu lindo mundo.

    Desejo a todos o melhor.
    Saudação e abraço.

    Do Japão, ruma ❃

    ResponderEliminar
  14. Me ha encantado Rui. Me recuerda a partes iguales a Galicia y Extremadura. Besitos.

    ResponderEliminar
  15. Depois de 15 dias de ausência deparo-me com estas imagens maravilhosas.
    Apesar do isolamento apetece visitar. Pormenores fantásticos.

    Beijos Rui

    ResponderEliminar
  16. Que lugar lindo!...
    Maravilhoso o contraste dos vales verdejantes, e da cor dos telhados, com a aridez das serras vizinhas...
    Adorei cada detalhe, que aqui fui descobrindo, desta bonita aldeia, que desconhecia!...
    Mais uma belíssima partilha, Rui!
    Beijinhos! Feliz semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  17. waounh mas que fotos mais lindas parabens por mais uma bela partilha obrigado bjs

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  19. Wonderful place, rural idyll.
    Fine pictures!
    Have a nice week!

    ResponderEliminar
  20. Boa tarde, parabéns pela belas fotos excelentemente captadas da maravilhosa aldeia Covas do Monte, fico satisfeito pela aldeia ainda não ter sido alvo de um grupo económico para a transformar no turismos rural como tem acontecido a outras belas aldeias que depois alteram.
    Boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
  21. Belas imagens! Parece que o tempo parou nesta aldeia. Lugar onde parece reinar a paz e a tranquilidade junto à bucólica vida campestre.

    ResponderEliminar
  22. O nosso Portugal mais profundo, mais genuíno!

    Eu quero ir!

    ResponderEliminar
  23. Sabe , Rui, adorável sem dúvida e ainda mais quando se é recebido com os nossos manjares . Mas no meio dessa beleza , está a tristeza das cassas abandonadas e o trabalho duro de e pouco rentável de quem lá vive todos os dias ...
    As duas faces da moeda . A reportagem está tão linda que da vontade de lá ir !
    Beijinho

    ResponderEliminar