Neste blog, mais imagens do que palavras...
A fotografia é uma paixão que não requer ser cultivada, tão somente alimentada, pelo que uma imagem vale mais do que mil palavras!

In this blog, more pictures than words ...
The photography is a passion that does not require to be cultivated, nourished solely by that one picture is worth a thousand words!

Seguir este blog

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

O GATO ATENTO MAS COM A PREGUIÇA MATINAL...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

MUSEU DE LAMEGO - PORTUGAL

O Museu de Lamego é uma importante referência artística e patrimonial no panorama regional, nacional, e mesmo internacional, pela excelência e singularidade de algumas obras de arte que expõe.Está instalado no antigo Paço Episcopal, mandado reconstruir por D. Manuel de Vasconcelos Pereira, Bispo de Lamego entre 1773 e 1786. A criação do museu encontra os seus antecedentes na vontade expressa por D. Francisco José Ribeiro de Vieira e Brito, Bispo de Lamego entre 1901 e 1922, que pretendia instalar um Museu de Arte Sacra no antigo Paço Episcopal. Desde 1910 o edifício foi objecto de intervenções regulares de restauro com o objectivo de o adequar às funções de museu. Actualmente possui em regime de exposição permanente, secções de pintura, tapeçaria e paramentaria (séc. XVI a XVIII), escultura (séc. XIII, XIV, XVII e XVIII), ourivesaria (séc. XV a XX), cerâmica e azulejaria (séc. XVI a XX), arqueologia (romana, medieval e barroca), capelas (S. João Baptista, S. João Evangelista, Nª srª da Penha de França e capela privada do antigo Paço Episcopal) e altares (séc. XVII e XVIII), viaturas (séc. XVIII e XIX) e mobiliário (séc. XVII a XIX). As tapeçarias flamengas e a pintura de Grão Vasco assumem o estatuto de ex-libris do museu, fazendo parte das 18 (dezoito) obras consideradas Tesouros Nacionais, existentes neste museu.
Primeiro plano: Cruzeiro do Senhor do Bom Despacho (1480 – 1525), Proveniente da antiga Rua do Bom Despacho, actualmente incorporada na Rua de Almacave – Lamego. Também na parte central: Arca Tumular – Séc. XIV (Tesouros Nacionais).

Em fundo: Pórtico da antiga entrada da Capela de Nossa Senhora da Penha de França do extinto Convento das Chagas de Lamego. No centro da sala: Estela Funerária (séc I).

Fragmento de Tímpano (séc. XII), proveniente do tímpano do portal lateral sul da Igreja de Santa Maria de Almavave – Lamego.
Tapeçarias Flamengas – “Tesouros Nacionais”.

Capela Privada do antigo Paço Episcopal – Pintura decorativa do tecto a “Fresco” (séc. XVIII). Capela de São João Evangelista (séc. XVIII), proveniente dos Claustros do extinto Convento das Chagas – Lamego.
Escultura de Nossa Senhora do Ó (séc. XIV) – Pedra “Ançã” Policromada (apresento no slide abaixo, outra imagem de Nª Srª do Ó, existente no museu, assim como alguns de muitos motivos de interesse para uma visita). Obs. todas as fotos foram tiradas sem flash e sem uso de tripé.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

CRUZEIRO DO SENHOR DOS CRUZEIROS – LAMEGO – PORTUGAL

Hoje apresento duas fotos distintas mas sobre o mesmo local. A primeira tirada de dia e outra à noite. Este cruzeiro fica situado na Rua de Nossa Senhora dos Meninos no Bairro da Ponte em Lamego. Está erigido sobre rochedos de granito. As suas origens remontam ao século XVI.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A PRIMEIRA FLORAÇÃO JÁ SE VÊ NESTE INVERNO NO DOURO...


Foto tirada (ao amanhecer) na barragem de Bagaúste (Rio Douro - Régua), onde marca presença (sob ameaça de chuva) a primeira floração das Amendoeiras deste (ainda) Inverno, num local e região em que é considerado haver um clima "Mediterrânico".

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

FONTE DE SÃO JOÃO - LAMEGO

Fonte de 1728, situada no lugar de São João mais concretamente junto à recém construída rotunda Rui Valadares.
Lamentável a "recente" permissão de construção que colidiu com um dos pilares laterais desta bela fonte.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

RÉGUA D' OURO...

Com o rio Douro a seus pés, "O Peso da Régua (muitas vezes chamado simplesmente de Régua) é uma cidade portuguesa no Distrito de Vila Real, Região Norte e subregião do Douro.
É sede de um pequeno município com 96,12 km² de área e subdividido em 12 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Santa Marta de Penaguião e Vila Real, a leste por Sabrosa, a sul por Armamar e Lamego, a sudoeste por Mesão Frio e a oeste por Baião."
Foto tirada da Quinta Branca, na qual podemos contemplar além da cidade e do rio, as três pontes sobre o Douro mais uma sobre o rio Corgo (férrea), assim como em fundo a serra do Marão.